O que o futuro tem a oferecer?

O que o futuro tem a oferecer?

Se o assunto é energia, o futuro bate a sua porta.

Antigamente, ao pensar no futuro, imaginávamos um tempo distante, longe da realidade, como se nos tele transportássemos ao mundo da fantasia. Pelo menos era assim quando em meados dos anos 80 eu pensava no que seria o ano 2000.

Estamos prestes a entrar em 2015 e, ainda que não tenhamos dado saltos fantasiosos, a realidade hoje é bem diferente daquela da minha infância. Assim como também é nossa atual noção de tempo. Falar do futuro é falar praticamente do amanhã. Isso porque certamente muita coisa pode mudar da noite para o dia e até num piscar de olhos. Não é a toa que quando quero me referir ao futuro já costumo categorizá-lo entre futuro breve, de médio ou de longo prazo, ou então, futuro próximo ou futuro distante.

Voltemos ao título do artigo: “O que o futuro tem a oferecer?”. Tive a oportunidade de trombar com esse questionamento ao visitar o site da Siemens Energy. A empresa, ao estampar a provocante pergunta em uma de suas páginas,quer que o visitante tenha a certeza de que seus produtos – repletos de tecnologia, conhecimento de fronteira, inovação disruptiva – são o que futuro tem a oferecer. E esse futuro é o futuro breve, amanhã, ou talvez daqui a um par de horas.

O mundo da energia é assim. Nesse exato momento, nos centros tecnológicos públicos e privados de todo o mundo, há alguém pesquisando alguma coisa sobre o tema. Basta pensar que avanços nessa área podem radicalmente mudar o que hoje temos e conhecemos. O futuro que bate à nossa porta vai trazer grandes transformações na formacom que nos relacionamos com a energia. Muito em breve você vai começar a escolher a hora em que liga os eletrodomésticos porque a energia será tarifada de acordo com faixas de horários, parecido com o que ocorre com empresas. Vai começar a controlar não apenas a energia que gasta, mas também aquela que produz. Geração distribuída deixará de ser para poucos. Passará a ser para todos ou, pelo menos, quase todos. Também vai começar a comprar imóveis ou alugá-los de acordo com sua classificação em eficiência energética, como já fazem na França, por exemplo. Sabe aquela história de ter que deixar o celular carregando todos os dias durante a noite?Ficará no passado. Muito em breveveremos nas prateleiras smartphones com baterias de grafeno. Imagine, carregamentos rápidos e que duram dias. Isso vale também para os veículos elétricos, que além de mais leves e mais baratos, terão autonomia de até 1000 Km.

Esses são apenas alguns exemplos do que o mundo da energia tem a nos oferecer dentro de pouco tempo. Mais há, e muito mais virá. Se ainda não inventaram os carros voadores ou as cidades suspensas de “Os Jetsons”, que povoaram minhas fantasias infantis sobre o futuro, uma certeza tenho, a de que novas formas de geração, uso, armazenamento e medição de energiapromoverão muito em breve mudanças tão significativas em nossa vida que nem o mais famoso desenho animado futurista poderia prever.